Câmeras frigorificas podem ser usadas novamente se casos de covid-19 continuarem aumentando

câmaras frigoríficas

Manaus- Uma nova onda de covid-19, volta a assolar a população manauara, após o Amazonas voltar a  bater recorde de internações devido ao novo coronavírus.

Somente nesta terça-feira o Amazonas registrou  26 óbitos, elevando para 5,2 mil o total de mortes, conforme dados da Fundação de Vigilância da Saúde do Amazonas (FVS-AM).

A saúde do Amazonas vem entrando em colapso, hospitais da rede privada já anunciaram que os leitos destinados a pacientes com covid-19 já chegaram a 100%.

Como forma de evitar que a saúde entre em colapso, o Estado voltou a montar tendas em hospitais e não descarta a possibilidade de utilizar novamente as câmaras frigoríficas.

Na manhã de ontem (29), as tendas externas para triagem de pacientes voltaram a ser montadas no Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto e Hospital e Pronto Socorro Dr Platão Araújo. A medida foi utilizada pelo Governo entre maio e abril, quando a cidade enfrentava o pico da pandemia.

Além disso, com o aumento de casos, as câmaras frigoríficas podem voltar a ser utilizadas como ‘necrotério provisório’ de óbitos. O Hospital Delphina Aziz, em abril deste ano, chegou a receber a instalação de caminhões para o manuseio de corpos mortos por coronavírus no estado. A medida foi cogitada por técnicos da Secretaria Estadual de Saúde do Amazonas (SES-AM) na manhã da última segunda-feira (28), durante uma reunião interna, conforme informações repassadas para a Revista Cenarium.

O alto número de casos da Covid-19 no Amazonas se dá por conta das aglomerações registradas entre novembro e dezembro com a campanha eleitoral, movimentação do comércio, eventos e festas clandestinas, conforme explica o infectologista da Fiocruz Amazonas Jesem Orellana.

“Esse aumento que tivemos de infecções e casos graves com o final de dezembro tem uma relação com a agitação do comércio, festas clandestinas, eventos sociais e o período de compras do natal. Precisamos lembrar que, na verdade, esse período veio ‘alimentado’ pelo mês de novembro, tivemos as eleições, em que pessoas estavam circulando e contribuindo para o aumento das taxas na pandemia”, explicou.

Segundo a SES-AM, foram 95 hospitalizações registradas na última segunda-feira (28), maior número de internações desde maio, com 82 hospitalizações. Atualmente, o hospital de referência Delphina Aziz, opera com mais de 92% dos leitos de UTI destinados à Covid-19 ocupados.

O governador Wilson Lima entregou, nesta quarta-feira (30/12), 10 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Delphina Aziz.

A unidade, que é referência no tratamento da doença, passa a contar com 150 leitos para pacientes com Covid-19. Com a entrega, a unidade registra um aumento de 300% de leitos de UTI, desde o início da pandemia em março, quando contava com 50 leitos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui