quinta-feira, 01, outubro, 2020
Governo do Amazonas entrega cestas básicas e máscaras em comunidades ribeirinhas e rurais de Manacapuru

Compartilhe:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Ampliando as ações do Governo do Amazonas para o interior, a Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas) entregou, na manhã desta sexta-feira, 29 de maio, duzentas cestas básicas e duzentas máscaras de tecido em quatro comunidades, sendo duas ribeirinhas e duas em ramais, no município de Manacapuru (distante 84 quilômetros de Manaus). A ação faz parte da política pública estadual de enfrentamento e prevenção à pandemia provocada pelo novo coronavírus.

A secretária Maricília Costa destaca a assistência aos ribeirinhos como prioridade na gestão da Seas, principalmente como forma de enfrentamento à Covid-19, doença que está modificando profundamente a dinâmica das comunidades no interior do Estado.

“Esta ação segue as determinações do governador Wilson Lima, que sabe das dificuldades das famílias de comprar produtos da cesta básica. Então, esse apoio é muito importante para suprir as carências alimentares dos ribeirinhos. Representa um complemento à ajuda financeira que está vindo tanto do Governo Federal quanto do Governo do Estado em forma de auxílio emergencial”, frisou a titular da Seas.

Sensibilização – Durante a doação das cestas básicas, aconteceu também um trabalho de sensibilização quanto à importância do uso de máscaras de tecido junto à população ribeirinha das localidades contempladas – Comunidade São Sebastião (Ilha do Marrecão), Comunidade Nossa Senhora Aparecida (Costa do Cabaleana) e ramais Nova Esperança e Rei David.

A secretária executiva da Seas, Michelle Bessa, explicou, durante suas falas nas comunidades, sobre a importância do uso do acessório a essas populações tradicionais, uma vez que o coronavírus modificou a realidade de todos. “Esse trabalho de conscientização é muito necessário para evitar tanto a contaminação quanto a disseminação do novo coronavírus. É uma forma simples e barata de se proteger e proteger os outros”.

Parceria com o setor primário – Um dos responsáveis por articular a ida da Seas a essas quatros localidades, o coordenador da Secretaria de Produção Rural do município de Manacapuru, Wanderley Barroso, disse que a entrega das cestas básicas é uma forma de descentralizar a ação da capital. A medida também ajuda na prevenção à Covid-19 no município, uma vez que os beneficiados com a ajuda do Governo do Estado não precisarão se deslocar até a sede.

“Com a descentralização mais famílias estão sendo oportunizadas nesse momento crítico de pandemia e também estamos juntos evitando as aglomerações, na sede do município, porque a cada família atendida é uma família a menos que se faria presente na sede do município, nos supermercados, nos bancos para conseguir esses mantimentos, portanto, nós cumprimentamos o governador Wilson Lima que, através da Seas, está trazendo esse alento, esse abraço, essa solidariedade a quem realmente precisa aqui nos beiradões do Solimões de Manacapuru”, disse Wanderley.

Em boa hora – O presidente da Associação dos Produtores Rurais da Comunidade Nossa Senhora de Aparecida (Costa do Cabaleana), Pedro Frederico Nunes, exaltou a presença da pasta estadual da Assistência Social na localidade. Ele reuniu os moradores para receber as cestas básicas e máscaras e falou das dificuldades que a comunidade vem enfrentando por causa da pandemia.

“Nesse momento, a comunidade está praticamente parada. Todas as suas ações, reuniões, ações religiosas, tudo parou por causa da pandemia. Recebemos orientações das autoridades de saúde, da igreja e paramos todos, cada um na sua casa, evitando ao máximo de ir à cidade. Esse apoio chega em muito boa hora até porque ele chega na casa das pessoas, evitando que saiam e procurem esse auxílio na cidade ou em outro lugar”, comentou Nunes.

O líder comunitário considera a presença da Seas, nos lugares mais distantes, uma ação importante. A Comunidade Nossa Senhora Aparecida tem 26 famílias, sendo 103 pessoas adultas, 23 crianças e 12 idosos. A vocação da localidade é a fibra vegetal (juta e malva), mas existe também a produção complementar de chicória, cebola, mamão e banana, que os produtores não estão podendo escoar na sede de Manacapuru por causa da pandemia.

“Essa é uma ação importante para nós aqui da comunidade. Nós agradecemos ao governador (Wilson Lima) e à Seas. Estamos muito gratos porque está chegando aqui, na nossa casa, uma ajuda que é importante por causa desse momento de pandemia”, concluiu Pedro.

Leia Também

Siga nossas mídias sociais

redacao@portaldacapitalam.com.br

(92) 99514-1517

Portal da Capital Am

Informação com Credibilidade

Copyright © Todos os direitos reservados.