quarta-feira, 30, setembro, 2020
Após morte de motociclista por linha de cerol, homem diz que culpa é da vítima
O homem ainda escreveu que os motociclistas tinham que se "F****" para não atrapalhar quem solta papagaio

Compartilhe:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Manaus – Na noite da última quinta-feira (28), a frentista Marta Cristina Souza da Silva, de 36 anos, não resistiu aos ferimentos ocasionados por uma linha de cerol de pipa, que cortou seu pescoço enquanto ela conduzia uma motocicleta na Avenida Grande Circular 2, bairro Cidade de Deus, Zona Leste da cidade. Marta sofreu quatro paradas cardíacas e morreu no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto.

O caso chamou atenção da população manauara, já que nos últimos meses, muitos motociclistas estão se ferindo por conta de linhas de pipa banhadas por cerol (produto proibido por lei). Porém, uma situação bastanre desagradável causou revolta nas redes sociais.

Um homem identificado como “Dom Felipe” escreveu nos comentários da publicação de um veículo de comunicação que a culpa era da vítima, que acabou com “brincadeira” e que motociclistas “tinham mais era que se foder”.

Poha acho que não é nem os papagaio pow mais sim o pessoal que anda de moto, tá vendo que o pessoal tá brincando e acabam fazendo graça, TEM QUE SE FUDER MESMO. Quantas vezes eu vi pessoal fazendo graça com a moto e parece que nem existe linha na frente deles“, diz a publicação de Dom Felipe.

Após chuvas de comentários em defesa da vítima e ameaças, o dono do perfil que atacou Marta desativou apagou o comentário e desativou seus rede social.

Leia Também

Siga nossas mídias sociais

redacao@portaldacapitalam.com.br

(92) 99514-1517

Portal da Capital Am

Informação com Credibilidade

Copyright © Todos os direitos reservados.