Em Manaus, aglomerações causam novo pico de internações, que tem 91% dos leitos de UTIs ocupados

Manaus – Os protestos para manter a reabertura do comércio e as aglomerações causadas nos fim de ano causaram um novo pico de internações por causa das contaminações por coronavírus em Manaus, capital do Amazonas.

A taxa de ocupação dos leitos das Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) na cidade bateu 91% nesta segunda-feira (4) e o número de internações já é maior do que no pico registrado no primeiro semestre de 2020.

Segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) do Amazonas, o número de internações causadas pela doença chegou a 183 no início desta semana, o maior número registrado desde o início da epidemia. Desse total, 177 (96%) são em Manaus.

“A gente está, sim, vivendo uma segunda onda da doença. Infelizmente, o relaxamento das medidas de biossegurança, o processo eleitoral e as festas de fim de ano criaram esse cenário”, disse a secretária municipal de Saúde de Manaus, Shadia Fraxe, ao jornal O Globo.

Segundo o secretário estadual de Saúde, Marcellus Campêlo, o estado deve atingir um novo pico de internações entre os dias 13 e 15 deste mês, decorrentes das aglomerações nas festas de fim de ano.

“Houve um relaxamento da população, apesar de toda a nossa propaganda para que isso não acontecesse. Vimos aglomerações em bares, praias e balneários. Depois, tivemos Sete de Setembro, convenções partidárias, primeiro turno, muita aglomeração. E, logo em seguida, tivemos o período natalino. Estamos colhendo o fruto disso. E ainda vamos colher os frutos da aglomeração de Natal”, afirmou, também ao jornal O Globo.

Fonte: O Globo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui