Eduardo Bolsonaro fica irritado por perder 15 mil seguidores no Twitter

Foto: Divulgação

Uma ação do Twitter contra perfis com “comportamento suspeito”, que levou sobretudo contas ligadas ao conservadorismo bolsonarista a perder milhares de seguidores nesta segunda-feira (14), renovou apelo na base governista por uma ação federal em busca de “regularização” das redes sociais no Brasil.

Uma das principais vozes foi a do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente da República. Em uma série de posts na rede do passarinho, o parlamentar cobrou que o governo edite um decreto e uma Medida Provisória sobre o tema, a exemplo da legislação proposta pelo governo de extrema-direita da Polônia, que prevê multas milionárias a sites que apagarem postagens de usuários.

“Perdi hoje cerca de 15.000 seguidores no Twitter repentinamente. Sem qualquer explicação para seus clientes, as Big Tech fazem o que querem e o temor é que em 2022 isso piore”, afirmou. “Governo Federal precisa urgentemente publicar decreto e enviar MP ao Congresso para acabar com esses abusos. A liberdade de expressão, assim como o direito de ir e vir, são sagrados e no Brasil só podem ser suprimidos por decisão judicial, após um devido processo legal, garantido o direito a ampla defesa e contraditório”, complementou.

“A lei da Polônia é um exemplo a ser seguido. Lá se uma Big Tech como Twitter ou Facebook retiram do ar um post que não tenha conteúdo criminoso, essa Big Tech paga multa”.

 Veja a postagem: