sexta-feira, 25, setembro, 2020
Mãe mata filho de 11 anos e esconde corpo na garagem dos vizinhos

Compartilhe:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Do UOL

Alexandra Dougokenski confessou que matou o filho de 11 anos, Rafael Mateus Winkes, e que escondeu o corpo em uma caixa na garagem dos vizinhos, no município de Planalto, que fica a 406 quilômetros de Porto Alegre (RS). A mãe alegou que a morte do menino foi causada com medicamentos.

O menino estava desaparecido havia 11 dias. O corpo de Rafael foi encontrado na segunda-feira (25/5) na garagem da casa dos vizinhos após a mãe confessar o assassinato.  Os moradores estavam viajando e deixaram as chaves da casa com  Alexandra.

Em entrevista coletiva, o delegado responsável pelo caso, Joeberth Pinto Nunes, disse que o crime tem semelhanças com o caso de Bernardo Boldrine, que aconteceu em 2014 e teve repercussão nacional. O garoto também tinha 11 anos na época e foi morto pelo pai e pela madrasta por superdosagem do medicamento Midazolam.  

Alexandra foi ouvida pelas autoridades ao menos dez vezes ao longo da investigação e teve prisão preventiva decretada pela Justiça na segunda-feira (25/5). Em depoimento, ela afirmou que o filho desapareceu na noite do dia 15 de maio. Alexandra disse que teria deixado o menino no quarto para dormir e, quando acordou, no dia seguinte, ele não estava mais no local. Conforme o relato, a cama estava desarrumada e a porta da casa, encostada. O local não tinha sinais de arrombamento. 

A mãe disse ainda que o menino usava uma camiseta do Grêmio, calça de moletom preta, chinelos e óculos de grau, vestimentas que não foram localizadas no quarto dele.

A suspeita inicial era de que Rafael havia saído de casa durante a noite. A família procurou por ele na casa da avó e de amigos, mas não o encontrou. A Polícia Civil também tinha como hipótese sequestro e suicídio.  

Alexandra contou que viva com Rafael e seu outro filho, um adolescente de 16 anos. Segundo ela, o garoto tinha problemas emocionais e, por isso teve a necessidade de dar um medicamento mais forte para a criança. O nome do remédio não foi divulgado.

Apesar de Alexandra já estar em prisão preventiva, o delegado não considerou o caso como encerrado.  A polícia ainda investiga se a causa da morte de Rafael foi o medicamento ou se o menino teria sido dopado e esganado pela mãe. A participação de outras pessoas no crime também é investigada.

Leia Também

Siga nossas mídias sociais

redacao@portaldacapitalam.com.br

(92) 99514-1517

Portal da Capital Am

Informação com Credibilidade

Copyright © Todos os direitos reservados.