sexta-feira, 30, outubro, 2020
Marcos Pasquim quer voltar à TV e diz não ter saudade de tirar camisa

Compartilhe:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A rotina atribulada de gravações e projetos de Marcos Pasquim, 51, teve de dar uma pausa logo quando o ator começaria a filmar cenas de um longa de adrenalina, em março passado. Na ocasião, começava a ser difundida a quarentena em todo o país, e as filmagens foram suspensas.

Cinco meses depois, com todos os requisitos de segurança, ele conta ter podido, enfim, iniciar as gravações no interior de São Paulo. No filme, programado para o fim de 2021 ou 2022, Pasquim viverá um motociclista que é contratado com sua equipe de motocross e cai em uma cilada.

“O personagem é o Ajax, dono de uma equipe de MotoCross, viúvo e pai de uma filha que quer correr de moto e ele não aceita. Após cairmos na tal emboscada, acabamos tendo de nos virar para tentar escapar dessa tormenta. Um filme de muita ação, perseguição, saltos e emoção”, adianta Pasquim, em entrevista à Folha de S.Paulo.

Aos moldes de “Velozes e Furiosos”, “Tração – O Filme” tem como diretor André Luis Camargo e traz Nelson Freitas, Mauricio Meireles, Bruna Altieri, André Ramiro e Paola Rodrigues no elenco. As filmagens ocorrem entre Florianópolis (SC) e Campinas (SP).

Para o ator, ficar parado até que as filmagens fossem restabelecidas foi um pouco frustrante. “Além do filme eu tinha uma peça toda preparada para entrar em cartaz em um mês. Chama ‘O Chefe’ e tem eu e mais um ator”, diz Pasquim sobre o espetáculo que ainda não tem data para estrear.

“Com a quarentena eu tenho lidado da maneira que consigo. Parei de trabalhar, mas procurei manter a vida saudável. Andava de bike, me alimentava bem. A maior dificuldade foi ficar sem ver meus amigos e minha família”, relembra o artista que mora sozinho no Rio de Janeiro.

Longe da TV desde “O Tempo Não Para” (Globo, 2018), Pasquim conta que ainda não tem projetos para a televisão, mas que gostaria de voltar. “TV é uma delicia, gostoso. Se me convidarem eu volto, quero fazer coisas como minisséries, por exemplo.”

O contrato extenso de Pasquim com a Globo terminou em 2015, agora ele trabalha apenas por obra. “Ficar livre para poder fazer qualquer coisa. Fiquei muito tempo na Globo e amava, mas em alguns casos eu não consegui fazer alguns trabalhos por estar com exclusividade no canal”, diz.

Leia Também

Siga nossas mídias sociais

(92) 99514-1517

Portal da Capital Am

Informação com Credibilidade

Copyright © Todos os direitos reservados.