Escolas particulares passam por verificações dos protocolos de prevenção à Covid-19

O Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Estado do Amazonas (Sinepe-AM) deu início em mais uma ação de conscientização para uso dos protocolos de biossegurança de prevenção à Covid-19. A entidade passou a realizar, diariamente, visitas às instituições associadas, para verificar o cumprimento das medidas.

“Como não temos poder de fiscalização, as visitas da diretoria do Sinepe-AM são de caráter orientativo. Vamos até a instituição, fazemos um relatório e, caso a escola esteja cumprindo todos os protocolos, nós concedemos um certificado. Caso contrário, a instituição receberá orientações, um prazo para se adequar e uma nova visita do sindicato”, explicou a presidente do Sinepe-AM, Elaine Saldanha.

Durante as visitas é avaliado se a instituição realiza triagem, com aferição de temperatura, higienização das mãos e calçados, disponibiliza álcool em gel, utiliza tapetes sanitizantes e se observa o estado de saúde dos alunos e responsáveis. Outro item que faz parte do relatório de visitas é quanto ao uso obrigatório da máscara na entrada, rotina, refeições, saída e como está sendo feita a troca do acessório.

Nas salas de aula são verificados o cumprimento do distanciamento, quantidade de alunos e se houve a implantação do ensino híbrido (que combina aprendizagem em ambiente virtual e presencial). Além disso, a diretoria do Sinepe-AM avalia o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) pelos profissionais das escolas. Já nas áreas de convivência, o distanciamento e o rodízio no uso dos espaços estão entre os itens observados.

A vice-presidente do Sinepe-AM, Laura Cristal Vital, informa que, diariamente, duas a três instituições associadas estão recebendo a visita da diretoria da entidade. Quase 90 estabelecimentos, de creche à faculdade, fazem parte do roteiro. “O certificado é uma forma de as instituições apresentarem aos alunos, pais e colaboradores que se preocupam em seguir os protocolos de prevenção à Covid-19”, disse.

Desde o início da pandemia o sindicato tem buscado realizar uma série de ações que garantam que o ambiente escolar seja um espaço seguro. Isso inclui a criação da Ouvidoria da Educação Particular, assessoria jurídica, pedagógica e administrativa às associadas, além de oferecer suporte para realização de compra coletiva de EPIs.

O Sinepe-AM também tem procurado participar de audiências públicas e promover cursos, seminários e capacitações. “Temos trabalhado inclusive em conjunto com órgãos de saúde, o que acaba reforçando as nossas ações e, ainda, aumentando a segurança e confiança nas instituições de ensino privado que fazem parte do Sinepe-AM”, frisou a vice-presidente do sindicato.

Entre as parcerias está a realizada com a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) que, semanalmente, recebe das escolas associadas formulários informando ocorrências ou não de casos de Covid-19. Dessa forma, o órgão tem o controle dos casos, acompanha a doação dos protocolos e traça novas estratégias de prevenção.