Brasileira condenada por tráfico na Tailândia ganha perdão de multa e redução de pena

A brasileira Mary Hellen Coelho da Silva, de 24 anos, condenada na Tailândia por tráfico internacional de drogas, recebeu perdão real no país e teve a pena atenuada. Mary Hellen foi presa em fevereiro de 2022 ao desembarcar no aeroporto do Bangcoc com 15,5kg de cocaína.

Em maio daquele ano, a mineira de Pouso Alegre (400 km de Belo Horizonte) foi condenada a nove anos e seis meses de prisão e ao pagamento de multa de 750 mil baht (cerca de R$ 105 mil hoje).

O perdão real, assinado pelo rei Maha Vajiralongkorn, é uma decisão comum a tailandeses e estrangeiros e libera a brasileira do pagamento da multa, chamado na Tailândia de pena civil. Já a pena de reclusão deve ser mantida – Mary Hellen já cumpriu dois dos nove anos a que foi condenada.

Mary Hellen soube do perdão da multa em abril. A defesa não quis informar se a brasileira nega o crime. Disse apenas que a admissão de culpa foi feita durante o julgamento porque a beneficiava em relação ao tamanho da pena. Procurado, o Itamaraty afirmou, por meio da embaixada do Brasil em Bangcoc, que “acompanha o caso desde 2022, prestando assistência consultar devida à cidadã brasileira detida”.

A mineira trabalhava em uma churrascaria e pediu demissão pouco antes de viajar para a Tailândia. À família disse que iria para Curitiba encontrar um namorado. Eles dizem que só souberam que Mary Hellen estava na Tailândia quando receberam uma mensagem com pedido de ajuda.