Democratas iniciam 2° processo de impeachment contra Donald Trump

Washington, 11 jan (EFE).- A oposição democrata na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos iniciou nesta segunda-feira os trâmites para um segundo processo de impeachment contra o presidente em fim de mandato, Donald Trump, ao apresentar formalmente a acusação de “incitar uma insurreição”, em relação à responsabilidade do republicano na invasão ao Capitólio por parte de apoiadores.

O processo abre o caminho para acusar oficialmente Trump, em uma votação no plenário da câmara que “pode ocorrer na quarta-feira”, disse o congressista democrata Dan Kildee, um dos incentivadores da resolução, em entrevista à emissora “CNN”.

A resolução, incluída na agenda da Câmara dos Representantes durante uma breve sessão no plenário nesta segunda-feira, já conta com 210 congressistas favoráveis, o que praticamente definde que Trump será formalmente acusado após a votação.

É necessária uma maioria simples de 218 votos para que a acusação seja aprovada – ou menos, caso haja ausências no plenário -, e os democratas possuem 222 assentos.

A acusação formal na Câmara dos Representantes obrigaria o Senado a iniciar um segundo processo de impeachment contra Trump, após o que foi realizado no ano passado. No entanto, o retorno das atividades do Senado está marcado para 19 de janeiro, um dia antes da posse do presidente eleito, Joe Biden.

Os democratas ainda consideram necessário submeter Trump ao processo pela responsabilidade na invasão ao Capitólio. Mesmo que ele não seja destituído, os democratas incluíram na resolução outra consequência que o afetaria: a inabilitação para ocupar cargos políticos no futuro.

Antes de votarem o impeachment no plenário, os democratas querem dar uma última oportunidade ao atual vice-presidente, Mike Pence, para que tente destituir Trump segundo o processo estabelecido na 25ª Emenda à Constituição.

Essa emenda afirma que o vice pode substituir o presidente se declarar por escrito, com o apoio da maioria do gabinete, que o mandatário “é incapaz” de exercer o cargo. Mas Pence tem se negado a acionar a emenda, e é improvável que o faça.

Os democratas ainda tentaram aprovar nesta segunda-feira, por unanimidade, uma resolução que exige que Pence “use imediatamente seus poderes” sob essa emenda, mas um congressista republicano se opôs à iniciativa.

O plenário da Câmara dos Representantes planeja realizar na terça-feira a votação dessa emenda, que dá 24 horas para Pence agir se não quiser que haja um impeachment. Como não é esperada nenhuma ação por parte do vice-presidente, tudo indica que votará para acusar Trump na quarta-feira.

O texto da resolução para um impeachment indica que, ao inflamar os seguidores, Trump “pôs em grave perigo a segurança dos EUA e suas instituições de governo”.

“(Trump) ameaçou a integridade do sistema democrático, interferiu na transição pacífica de poder e colocou em perigo uma parte do governo. Traiu assim a sua confiança como presidente, com os consequentes danos manifestos ao povo dos EUA”, acrescenta. EFE

Com informações do UOL

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui