Cães de faro para narcóticos auxiliam na apreensão de mais de meia tonelada de drogas em quatro meses

Nos últimos quatro meses, os cães de faro para narcóticos da Polícia Militar do Amazonas (PMAM) auxiliaram as Forças de Segurança na apreensão de mais de meia tonelada de entorpecentes. A maioria das apreensões, conforme informou o comandante da Companhia Independente com Cães (Cipcães), major Marcelo Arruda, foi registrada nas bases fluviais, coordenadas pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM).

Atualmente, a Cipcães conta com 23 cães, dos quais, sete são de faro para narcóticos e outros seis, que ainda são filhotes, estão em fase de treinamento para atuarem nas buscas por entorpecentes. De acordo com o major, os caninos policiais são acionados por demandas, mas, praticamente, em todas as missões que participam voltam com resultados positivos.

Os resultados dessas ações estão comprovados em números. “Nesse primeiro quadrimestre nós tivemos recordes de apreensão de entorpecentes. Nós chegamos a casa de mais de meia tonelada de drogas apreendidas em diversas operações, somando um prejuízo de mais de R$ 35 milhões ao crime”, afirmou o comandante.
Atuação em Bases Militares

Mesmo estando aptos a integrar diversas operações, são nas bases fluviais que os cães de faro para narcóticos estão presentes com mais frequência. Eles são os responsáveis por auxiliar as equipes que trabalham no cumprimento da operação Protetor das Fronteiras e Fronteira Mais Segura, coordenadas pela SSP-AM em parceria com o governo federal.

De acordo com o comandante da unidade, major Marcelo Arruda, foi a partir da atuação nas bases, que a CipCães bateu recordes nas apreensões de entorpecentes, que são enviados pelos criminosos em objetos e lugares, onde os olhos e olfato humano não conseguem detectar.

“Um cão, hoje, consegue fazer o trabalho de 10 a 20 policiais militares de uma vez, então, economiza no contingente e no efetivo da Polícia Militar, otimizado assim, as nossas ações. Ele é bem treinado e consegue localizar drogas, onde muitas vezes o policial não consegue encontrar”, descreveu.

Integração

As equipes policiais da Cipcães participam de diversas operações, sejam elas desencadeadas pela Secretaria de Segurança, Polícia Militar, Polícia Civil ou, também, nas ações integradas das demais Forças de Segurança da esfera federal, como a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Federal (PF).

O agente da PRF, Chardson Moldes, que comandou uma operação realizada em ônibus do transporte interestadual, falou que a integração com a SSP-AM nas operações reforça um compromisso que visa a garantia da segurança da população amazonense. Ele destacou, ainda, a importância da CIPCães nas operações.

“As fiscalizações que contam com o auxílio dos cães de faro para narcóticos são muito mais rápidas e dinâmicas, pois as bagagens são posicionadas em um local e o animal passa pelos volumes. Essa mesma atividade se fosse feita somente por policiais levaria horas para ser concluída”, disse.

Chardson afirmou, ainda, que tratativas com o comando da PMAM e da CIPCães estão em andamento para intensificar as fiscalizações, durante operações conjuntas entre as forças de segurança no Amazonas.