Família doa órgãos de sargento assassinada por colega de farda em Manaus

Foto: Reprodução

Manaus – O triste caso da morte da sargento Alcileide Conceição Costa de Freitas, de 44 anos, assassinada pelo companheiro de trabalho, na manhã desta quinta-feira (10), no prédio da 10ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), continua intrigando e comovendo pessoas. Mesmo diante da tragédia, a família da vítima deixará esperança para as pessoas que estão na fila do transplante de órgão, um desejo que Alcileide fazia questão de reafirmar.

A família decidiu doar os órgãos e tecidos da policial militar, pois segundo a família, Alcileide sempre manifestou o desejo de ser doadora.

O transplante de órgãos é um procedimento cirúrgico que consiste na reposição de um órgão, como o fígado, rins, e pulmões, por exemplo, a uma pessoa doente por outro órgão saudável do doador.

Vítima chegou a denunciar ameaça

Cerca de 25 dias antes de ser assassinada, a sargento da Polícia Militar Alcileide Conceição Costa de Freitas já dava indícios de que a sua vida estaria em risco. Ela estava sendo ameaçada pelo colega de trabalho, o também sargento da PM, Mário Sérgio da Silva Muca, apontado como autor do crime.

Porém a corporação informou, por meio de nota, que não se ateve ou, ao menos, não foi comunicada sobre o que se passava em um de seus quartéis na capital do Amazonas.

O crime ocorreu no prédio do 10º DIP
O crime ocorreu no prédio do 10º DIP | Foto: Reprodução

No dia 15 de maio, ela procurou uma delegacia para registrar um Boletim de Ocorrência, por ameaça, contra o homem que seria apontado como principal suspeito por sua morte, na manhã desta quinta-feira (10).

Ela declarou que Mário Sérgio teria afirmado “Abre teu olho, tu é o pior verme que existe e tu sabe o que acontece com os vermes”. Mesmo assim, o comando da Polícia Militar da Amazonas, divulgou uma nota, afirmando que a corporação não foi comunicada sobre qualquer tipo de desentendimento ou problemas envolvendo os dois militares até a ocorrência dos fatos.

Alcileide foi assassinada com dois tiros no peito, por volta das 6h, quando ela e Mário Sérgio se preparavam para iniciar os trabalhos na 11ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), localizada no bairro Alvorada. A vítima chegou a ser encaminhada para a unidade de Serviço de Pronto Atendimento (SPA) do bairro, mas já estava morta quando chegou à unidade de saúde.

Por se tratar de um crime militar, o sargento foi encaminhado ao Núcleo Prisional da PM. Até o momento, as motivações do crime ainda não foram esclarecidas pelas autoridades que investigam o caso.

Confira a nota da PM:

A Polícia Militar do Amazonas lamenta a morte da sargento Alcileide Conceição Costa de Freitas e informa que o outro policial militar envolvido no fato foi encaminhado ao Núcleo Prisional da Polícia Militar (NIPPM).

Por envolver policiais militares da ativa, em serviço, com fato ocorrido no interior do quartel, o caso caracteriza-se como crime propriamente militar, com tipicidade indireta no art. 9º, II, “a” do Código Penal, sendo a competência das investigações de responsabilidade da Polícia Judiciária Militar, conforme art. 144, §4º, da Constituição Federal.

A Polícia Militar ressalta, ainda, que a corporação não foi comunicada sobre qualquer tipo de desentendimento ou problemas envolvendo os dois militares até a ocorrência dos fatos.