Sobre primeira-dama, Ciro Gomes dispara “Janjismo” prejudica governo Lula, e prevê derrota em 2026

O ex-candidato à Presidência da República nas eleições de 2022, Ciro Gomes (PDT), voltou a disparar críticas contra o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Em uma entrevista ao canal My News no YouTube, Ciro não poupou palavras ao comentar sobre o que ele chama de “janjismo”, referindo-se à influência da primeira-dama Rosângela Lula da Silva, conhecida como Janja, na gestão presidencial.

Ciro disse que “janjismo” atrapalha a popularidade do governo Lula. “Pelo movimento da economia, a população vai votar contra o governo. E, pela guerra cultural, o ‘janjismo’, o governo vai perder a eleição. Não vai perder em 2026, vamos acompanhar já as eleições municipais nas capitais brasileiras, que são uma pista nos grandes centros”, disse Ciro.

Durante a entrevista, o ex-ministro da Integração Nacional do primeiro governo Lula (2003-2006) também destacou a segurança pública como uma das principais preocupações do país atualmente. Ele criticou a falta de resposta eficaz da esquerda brasileira ao desafio representado pela criminalidade.

“Os ricos, protegidos por segurança privada, desconhecem o que acontece nas periferias controladas por facções criminosas. É uma questão complexa, de longa data, que precisa ser urgentemente enfrentada”, argumentou.

Além das críticas ao governo Lula, Ciro elogiou o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), descrevendo-o como “um bom administrador”. Por outro lado, não poupou críticas ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), classificando-o como despreparado e desqualificado.

“Bolsonaro não conseguiu nem mesmo gerenciar uma pandemia, falhando no básico”, disse Ciro, acrescentando que Bolsonaro foi contra a vacinação e manipulou seu cartão de vacinação.