Eleições 2020: Mário Abrahim lidera pesquisas de intenção de voto para prefeito de Itacoatiara

Compartilhe:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Itacoatiara – O município de Itacoatiara (a 270 quilômetros de Manaus) é o terceiro maior município do Estado do Amazonas com 101.337 de habitantes e possui o maior colégio eleitoral do interior, com cerca de 67.359 eleitores, com isto, a disputa para a prefeitura tem sido bastante almejada, com quatro nomes que se destacam para concorrer ao cargo de prefeito da cidade.

No início do mês de Abril, o Instituto de Pesquisa Pontual divulgou o resultado da pesquisa de intenção de voto para prefeito de Itacoatiara. O resultado mostrou o bancário Mário Abrahim (PSC) como o favorito diante dos demais candidatos, liderando com 30,8% dos votos.

Dentre os nomes que irão disputar a prefeitura do município, estão o do ex prefeito Mamoud Amed (Avante), em segundo lugar, com 18,30% das intenções de voto, seguido do deputado estadual Cabo Maciel (PL) com 12,80%, Antônio Peixoto (PT), atual prefeito da cidade, aparece com 5,30% dos votos, Donmarques (PSDB) com 3,60% e Castro Alves (PSD) com 3%.

Outras pesquisas de intenção de voto mais antigas, já apontavam Mário como o principal alvo de votos dos eleitores de Itacoatiara. Nos resultados da pesquisa do iMarketing, em Março de 2019, Mário já liderava com 26,1%, seguido de Mamoud com 10,3%, Cabo Maciel com 4,2%, Antônio Peixoto com 3,10% e logo em seguida Donmarques e Castro Alves com o mesmo percentual de 1,10%.

A pesquisa do Projeta, de Fevereiro deste ano, mostrou que Abrahim estava liderando com 26,87%, em segundo Mamoud com 22,56%, logo após Maciel com 14,74%, Peixoto com 5,48%, Don Marques com 3,67% e Castro Alves com 3%.

A Pesquisa Pontual, apontou o índice de rejeição dos candidatos, em que Antônio Peixoto lidera com 55% de eleitores entrevistados que afirmaram que não votariam nele. Logo em seguida Mamoud Amed com 11,9% de rejeição, Cabo Maciel com 3,1%, Don Marques com 2,2% e Mário Abrahim, com apenas 0,8%.

Segundo os acompanhamentos dos institutos, a margem de erro é de 5,2%, para mais ou para menos, com um grau de confiabilidade de 95%. Isso significa que se fossem feitas 100 (cem) entrevistas com a mesma metodologia, 95 (noventa e cinco) estariam dentro do grau de confiabilidade previsto.

Leia Também