Frigorífico de ex-prefeito de Anamã era usado para lavar dinheiro do tráfico de drogas

A Polícia Civil do Rio de Janeiro concluiu que o ex-prefeito de Anamã, Raimundo Pinheiro da Silva, o Chicó, utilizava um frigorífico de sua propriedade para lavar dinheiro oriundo do tráfico de drogas. O parlamentar foi um dos alvos da Operação Rota do Rio, deflagrada na manhã desta terça-feira (21), no Amazonas e outros três estados.

Segundo a polícia, a empresa Frigopesca Indústria de Pescado, localizada no município de Manacapuru, interior do Amazonas, era utilizada pelo ex-prefeito para o recebimento de pagamentos feitos pela facção Comando Vermelho (CV).

As investigações ainda apontam que os criminosos faziam o repasse do dinheiro obtido com o tráfico de drogas à empresa de forma pulverizada, com o objetivo de dificultar as investigações.

Um mandado de busca e apreensão foi cumprido na residência de Raimundo Chicó. No local, os policiais apreenderam dinheiro em espécie e veículos. Mas o ex-prefeito não se encontrava no endereço, ele teria viajado para Brasília na madrugada desta terça-feira.

A polícia trabalha com a hipótese de que Chicó tenha recebido informações privilegiadas sobre a operação.