Omar Aziz concorda com instalação de nova CPI e quer investigar ‘apagão’ no Ministério da Saúde

Senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Renan Calhaieros (MDB-AL) e Omar Aziz (DEM-AM) Foto: Edilson Rodrigues / Agência Senado (15/10/21)

Da redação

O senador Omar Aziz (PSD-AM) e presidente da Frente Parlamentar Observatório da Pandemia de Covid-19, afirmou nesta quarta-feira (12) que vai assinar o requerimento para a instalação de uma nova CPI da Covid no Senado. Mas, até o momento não confirmou presença no colegiado porque, segundo ele, quem indica os membros de uma CPI são os líderes dos partidos.

Nessa terça-feira (11), o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) protocolou na mesa diretora do Senado um requerimento pedindo a instalação de uma nova CPI da covid (coronavírus). O objetivo é investigar as ações do governo federal a partir de novembro de 2021, após o fim da primeira CPI. São necessárias 27 assinaturas para que a comissão seja instalada.

“Instalar uma nova CPI da covid é retomar investigações e pressões que foram fundamentais para a vacinação do povo brasileiro. Isso não nos impedirá de cobrar os resultados da primeira CPI, que apesar de ter tido vários resultados efetivos, sofre com a inércia da PGR”, disse Rodrigues nas redes sociais.

O senador amapaense é o atual vice-presidente do Observatório da Pandemia e foi vice-presidente da CPI da covid no ano passado.

Aziz concorda com o G7 – grupo de senadores que deu apoio político e garantiu as votações importantes na CPI da covid – que a sociedade brasileira precisa ter respostas principalmente sobre o recente “apagão” no sistema do Ministério Saúde.

“Foi só falar em exigir o passaporte da vacina que o sistema saiu do ar. Quantas crianças não foram infectadas ou foram a óbito e o país não teve conhecimento? Tem ainda a questão dos testes de farmácia que não funcionam. Tudo isso precisa ser esclarecido”, disse ao BNC Amazonas.

Para o presidente do Observatório da Pandemia, o governo federal nada explicou sobre os acontecimentos e nenhuma investigação por parte do Ministério Público foi feita.