França suspende três mil profissionais da saúde não vacinados contra covid-19

Foto: Reprodução

FRANÇA – Desde a última quarta-feira (15) entrou em vigor a obrigatoriedade da imunização contra a Covid-19 para os profissionais da saúde na França e desde então cerca de 3.000 suspensões foram aplicadas a trabalhadores de saúde não vacinados segundo o ministro da Saúde, Olivier Véran.

“Ontem, cerca de 3.000 suspensões foram notificadas ao pessoal de centros de saúde” por não terem recebido pelo menos uma dose da vacina, disse Véran à rádio RTL, acrescentando que “também houve dezenas de demissões”.

“Estamos falando de cerca de 2,7 milhões de funcionários”, completou o ministro, destacando que a continuidade do atendimento de saúde está assegurada.

Segundo Véran, “um grande número destas suspensões é temporário” e diz respeito, “basicamente, ao pessoal dos serviços de apoio”.

A obrigação de se vacinar contra a covid-19 entrou em vigor para 2,7 milhões de profissionais de saúde na França que trabalham em hospitais e lares para idosos, além de cuidadores, ajudantes domésticos, bombeiros e assistentes de ambulâncias.

Segundo dados oficiais levantados pela agência pública de saúde até 12 de setembro, 89,3% dos cuidadores em centros de acolhimento de adultos dependentes haviam recebido pelo menos uma dose. Em relação à população em geral, este número corresponde a 73,9%.

Com o objetivo de acelerar o ritmo de vacinação, a nova norma estipula que o profissional de saúde que não informar se recebeu a primeira dose, se tem alguma contraindicação para ser imunizado, ou se foi infectado recentemente, não poderá exercer seu ofício.

Desde o início da pandemia, a França acumula mais de 115.000 mortes por coronavírus.