Mutação da Covid-19 é detectada pela primeira vez no Brasil; autoridades sanitárias estão em alerta

Covid-19 – Pesquisadores do laboratório Dasa afirmaram nesta quinta-feira (31) que identificaram a nova variante do coronavírus em dois pacientes em São Paulo. Trata-se da cepa B.1.1.7 do SARS-CoV-2, a mesma detectada no Reino Unido.

A descoberta foi encaminhada ao Instituto Adolfo Lutz e à Vigilância Sanitária, segundo o laboratório.

“O estudo foi iniciado em meados de dezembro, quando o Reino Unido publicou as primeiras informações científicas sobre a variante, que se caracteriza por apresentar grande número de mutações, 8 delas ocorrendo na proteína da espícula viral (spike)”, informou a Dasa, por meio de nota.

Foram analisadas 400 amostras de testes RT-PCR e duas apresentaram a linhagem B.1.1.7. De acordo com o laboratório, a confirmação da cepa em dois pacientes foi feita por meio de sequenciamento genético realizado em parceria com o Instituto de Medicina Tropical da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (IMT-FMUSP).

“O sequenciamento confirmou que a nova cepa do vírus chegou ao Brasil, como estamos observando em outros países. Dado seu alto poder de transmissão esse resultado reforça a importância da quarentena e de manter o isolamento de 10 dias, especialmente para quem estiver vindo ou acabado de chegar da Europa”, afirmou Ester Sabino, pesquisadora do IMT-FMUSP, por meio de nota divulgada pelo laboratório.

No Reino Unido, já há mais de 3 mil casos registrados da nova variante, o que representa mais de 50% dos novos casos diagnosticados, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde).

A mutação aumenta a transmissibilidade do vírus, mas não agrava a infecção, segundo análise do ECDC (Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças) divulgada na terça-feira (29).

Fonte: R7

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui