Justiça determina quem foi vacinado de forma irregular no AM não terá direito à 2ª dose da CoronaVac

A Justiça Federal determinou que os  “privilegiados” que foram vacinados contra a Covid-19 de maneira irregular, não terão direito à 2ª dose. A determinação partiu da Justiça Federal, assinada pela juíza Jaiza Maria Pinto Fraxe, na noite desse sábado (23).

A  vacinação contra Covid ficou suspensa em Manaus, para um replanejamento, depois de denúncias de pessoas que furaram fila, passando à frente dos grupos pré-determinados para a vacinação.

Jaiza Fraxe  também determinou que a Prefeitura de Manaus informe diariamente, a relação das pessoas vacinadas contra a Covid na cidade. A lista deve conter o nome, CPF e profissão das pessoas vacinadas até as 19h do dia, além do local onde a aplicação ocorreu. A multa diária em caso de descumprimento será de R$ 100 mil.

“O juízo não aceitará desculpas de qualquer privilegiado e deixa desde já fica consignado que quem ‘furou a fila’ não terá o direito de receber a 2ª dose, até que chegue a sua vez, sem prejuízo de indenização à coletividade que foi lesada pelo artifício imoral e antiético”, disse a juíza em trecho da decisão.

Segundo a juíza, dentre as pessoas que não deveriam ter recebido a vacina, estão
quatro estudantes da área de Saúde, dois advogados e dois empresários. Além da secretária Municipal de Saúde, Shádia Fraxe, e seu subsecretário, não possuem direito à vacina se não estiverem na linha de frente de combate à Covid.
“visitar unidades de saúde não é estar na linha de frente”. Eles devem apresentar justificativa por terem tomado a primeira dose.”, ressalta, a juÍza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui