Ministro Alexandre de Moraes quer 17 anos de prisão a réu que quebrou relógio no 8/1

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou nesta sexta-feira (21) pela condenação de Antônio Cláudio Alves Ferreira a 17 anos de prisão. Ferreira foi acusado de participar dos atos de 8 de janeiro de 2023, onde danificou o histórico relógio de Balthazar Martinot, trazido ao Brasil por Dom João VI.

Ele responde por crimes como associação criminosa armada, golpe de Estado, dano qualificado com substância inflamável e deterioração de patrimônio tombado. Moraes destacou um conjunto probatório robusto contra Ferreira, que confessou ter quebrado o relógio e danificado uma poltrona no Planalto.

O julgamento ocorre no Plenário Virtual do STF, com os ministros inserindo seus votos eletronicamente. Até a manhã desta sexta, apenas Moraes havia votado. A defesa de Ferreira pediu sua absolvição, e a análise do caso continuará até a próxima sexta-feira (28).