Senado da Argentina aprova legalização do aborto até a 14° semana de gestação

Mundo – O Senado da Argentina aprovou nesta quarta-feira a legalização do aborto até a 14ª semana de gestação, já confirmada na Câmara dos Deputados do país, a medida foi aprovada no Senado por 38 votos a 29, após 12 horas de debate de acordo com a imprensa local, confirmando uma das promessas de campanha do presidente Alberto Fernández.

A legalização do aborto, um projeto do presidente de centro-esquerda Alberto Fernández, já havia sido aprovado na Câmara dos Deputados em 11 de dezembro e nesta quarta-feira recebeu os votos favoráveis de 38 senadores, 29 votos contrários e uma abstenção, um resultado mais folgado que o previsto.

Fernández celebrou o resultado no Twitter. “O aborto seguro, legal e gratuito é lei. Hoje somos uma sociedade melhor que amplia direitos às mulheres e garante a saúde pública”, escreveu o chefe de Estado.

A votação durante a madrugada foi acompanhada por milhares de militantes feministas, que celebraram e choraram de emoção com o resultado, após mais de 12 horas de espera nas proximidades do Congresso. Além das mulheres que estavam na praça diante do Parlamento, muitas saíram às janelas e varandas para comemorar a notícia.

Fernández, próximo ao papa Francisco, havia declarado há alguns dias: “Sou católico, mas tenho que legislar para todos. Além disso, sou um católico que pensa que o aborto não é um pecado”.

O governo calcula que sejam realizados entre 370.000 e 520.000 abortos clandestinos por ano no país, de 45 milhões de habitantes. Desde a restauração da democracia, em 1983, mais de 3 mil mulheres morreram devido a abortos feitos sem segurança.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui