Eleições 2022: Presidente Jair Bolsonaro tem recorde de 59% de rejeição faltando um ano para o pleito

Foto: ALAN SANTOS/PR

Brasil – Faltando um ano para as eleições presidenciais, Jair Bolsonaro (Sem partido) é, disparado, o presidente com maior índice de rejeição na comparação com os presidentes que venceram as últimas oito eleições.

Segundo levantamento realizado pelo Datafolha, hoje 59% dos brasileiros dizem que não votariam de jeito nenhum em Bolsonaro.

O índice de rejeição é 21 pontos maior do que o do ex-presidente Lula, que lidera as pesquisas de intenção de votos – e é rejeitado por 38% dos eleitores.

Os dados confirmam o que parece cada dia mais factível: Bolsonaro não deve se reeleger, caso os números não sejam revertidos. Desde 1989, nunca um presidente eleito teve mais do que um terço de rejeição no eleitorado.

FHC, Lula e Dilma

Antes de disputar a eleição em 1989, Fernando Collor de Mello tinha 11% de rejeição. O índice foi aos 30% durante o processo eleitoral.

Em 1994, o tucano Fernando Henrique Cardoso era rejeitado por 12%, chegando a 17% nas proximidades da votação. Quatro anos depois, FHC era rejeitado por 25% e depois por 21% durante o processo que o reelegeu – no único caso em que a queda da rejeição caiu nas proximidades da eleição.

Em 2009, Dilma Rousseff (PT) tinha 21% de rejeição antes e chegou a 27%, índice que foi mantido um ano antes da reeleição, em 2009, e subiu para 33% durante a votação.

Via: Revista Fórum